Ética e competências relacionais são características essenciais aos CIOs

A CIONET apresentou no passado 23 de abril o “Communicating with CEO & Board”, evento organizado a par com a CATÓLICA-LISBON e que colocou frente a frente CIO e Administração para debaterem expetativas, desafios e casos de sucesso na relação entre ambos. O evento contou com a participação e contributo de Miguel Rio-Tinto, CIO do Grupo BES, e Carlos Bártolo, membro do Board no Millennium Gestão de Activos, cada um com o seu ponto de vista na relação.

Carlos Bártolo deu tom ao debate confirmando que, por um lado, o Board ainda é um corpo cujos modelos de decisão são muito sensíveis ao risco e bastante motivados para a redução de custos e eficácia de projetos. Por outro ainda existe na administração de várias empresas, o paradigma de que o IT é sinónimo de grandes desafios: incompatibilidades, atrasos em implementações, falhas, dados sensíveis, etc. Estes arquétipos pré-concebidos colocam aos CIOs, objetivos diferentes do Board e limitam uma rápida subida no ranking de “trusted advisors”, onde Bártolo refere vendors e consultores como os melhor posicionados.

Por seu lado, o responsável pelas tecnologias de informação de todo o grupo BES, reconhece que as competências de comunicação são uma lacuna característica do IT e apontou algumas soluções possíveis. Entre elas, Miguel Rio-Tinto referiu a importância de conhecer os processos de negócio por trás das necessidades do CEO. Rio-Tinto aconselha o IT a sentar-se com o utilizador e analisar o que é feito para complementar e clarificar a informação do CxO ou do Board, referindo que a capacidade de entrega é muito maior nesta situação. Rio-Tinto apontou também algumas estratégias de apresentação de projetos ao Board, indicando que o recurso a variáveis de impacto de negócio é fundamental; e que para uma comunicação simples mas eficaz durante a implementação, é imperativo estabelecer um calendário e KPIs de implementação, de forma a poder gerir as expetativas da administração e apresentar justificações claras quando necessário.

Apesar das diferentes perspetivas CIOs e Boards concordam numa posição: os CIOs com competências soft são fundamentais nos Boards e, no futuro, cada vez mais: o IT vai estar tão enraizado no negócio que é imperativo ter alguém no Board que faça a ponte entre processos de negócio e tecnologia.

Para além disso, foi ainda realçada a componente ética no perfil do CIO. “No final do dia, a responsabilidade é sempre do CIO” refere Miguel Rio-Tinto. Cada vez mais, o IT tem input em todos os departamentos e é necessário uma forte componente de liderança e ética pessoal e profissional para lidar com a responsabilidade da função. A este tema, Carlos Bártolo acrescenta a necessidade de implementação de responsabilidades partilhadas entre CIO e CxO nas empresas portuguesas.

Só pelo conteúdo do que foi debatido e pela qualidade dos oradores, o evento já seria um sucesso. Veja as fotos abaixo, contamos consigo no próximo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *